Um filho na mão e uma mochila nas costas.

Por mais viagens de mães e filhos.

Eu não tenho filhos, não posso te contar minha experiência viajando com um serzinho imprevisível, te dizer que é mais fácil do que parece ou dar dicas de melhores destinos. Mas sou filha de uma mulher que não tem medo de pegar a estrada e posso dividir contigo o bem que ela fez pra mim. Pra entender, você só precisa derrubar dois conceitinhos.

  1. Mas a criança nem vai lembrar

Será? Vasculhe aí na sua cabeça as primeiras lembranças que você tem na vida. Sério, pare e procure. Achou? Onde eram? Na minha primeira lembrança eu tô em um ônibus que acaba de chegar em Medianeira, interior do Paraná. Eu visto uma blusa do Mickey e, sonolenta, sou guiada pela mão da minha mãe ao longo do corredor preto com riscos de luz âmbar. Desço a escada, ainda esfregando os olhos, direto pro colo da minha madrinha, que já emenda beijos e um abraço apertado. Como dá pra ver, a recordação é curta, mas cheia de vida.

Pra falar a verdade, eu sempre achei estranho lembrar primeiro de um ônibus noturno e não de um evento grandioso, como uma festa ou um acidente. Mas, recentemente, descobri que eu faço parte da maioria. Uma pesquisa do Project: Time Off mostrou que a primeira memória de 62% dos adultos vem de uma viagem em família. Aliás, quase metade das pessoas que participaram do estudo (49%) contam que as memórias das viagens na infância são muito vívidas, mais até do que as das festas de aniversário (31%), onde elas eram o centro das atenções (um alô pras famílias que gastam horrores com festinha infantil). Mas o que é mais impressionante: esses momentos atravessam gerações. Entre os entrevistados, 77% afirmam que ouviram de seus pais histórias de quando eles mesmos eram crianças e estavam em férias com a família. Então, mamãe, existe uma grande chance de seu filho lembrar da viagem, vividamente, até ele ficar velhinho!

  1. Mas meus filhos são de porcelana

Tá cheio de mãe por aí cuidando de seus pequenos como se eles fossem quebrar a qualquer momento, deusolivre viajar. Tem pai que também faz isso, claro, mas a conversa (e a homenagem) aqui é com as mães. Segundo meu psicólogo, essa superproteção é prejudicial pra criança, que não aprende a lidar desde cedo com o diferente. Não aprende a comer a comida de outro lugar, a ver pessoas com outra aparência, a se divertir sem ter todos os seus brinquedos à disposição. Eu acredito que esse seja um dos primeiros contatos que a criança vai ter com a adversidade, a diversidade e o desapego, descobrindo que a gente pode ser feliz em qualquer lugar quando tem quem ama por perto. E você, mãe, vai estar por perto.

A minha mãe também estava pertinho quando eu enfrentei uma violenta infecção em Porto Seguro. Tadinha, acho que sofreu mais do que eu. Mas, com perrengue e tudo, a viagem foi um marco pra mim. Eu conto até hoje que meu primeiro vôo foi na cabine, com piloto e copiloto, porque rolou overbooking. Conto como eu ri com a minha mãe escorregando pra fora do caiaque depois de tomar um banho de bronzeador. Conto como eu aprendi a me divertir com gente de outras idades, enquanto eu e a Dona Flávia ajudávamos as moças que exageravam nos Capetas em sua viagem de formatura. Ali eu tive lições importantes, sobre família e amizade, que eu guardo até hoje.

Então, querida mamãe:

Pegue seu filhote e vá viajar. Mostre pra ele que o mundo é bem maior do que o trajeto de casa-escola-shopping. Não tenha medo de incomodar os outros com choro no avião, porque a intolerância de alguns às diferentes fases da vida é problema deles, não seu. Não se preocupe se os seus filhos vão aguentar o tranco, porque eles certamente têm mais energia do que você. Não deixe de conhecer o que te interessa só porque as pessoas dizem que viagem com criança deve ser pra parque de diversões. Deve ser pra qualquer lugar em que vocês se sintam seguros e felizes. Lembre que você e o seu filho são mais que parceiros de viagem, são e sempre serão parceiros de vida.

PS: A todas, nesse domingo, um feliz Dia das Mães. Especialmente pra Dona Flávia que, seguindo seu espírito wanderlust, tá hoje sendo linda lá em Lisboa. ❤

 

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Flavia Zilio Prima disse:

    Adoro cada post mais que outro. Mas este me foi muito inspirador.
    Obrigada Mari querida.

    Curtir

    1. mariannaslompo disse:

      Fico feliz, Flavinha! ❤️

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s